E vamos ter Madonna na Netflix!

Amanhã, sexta-feira 7 de abril, irá ser lançado o documentário “Strike a Pose”, sobre os dançarinos de uma das turnês pop mais famosas de todas, a “Blond Ambition Tour”do mito músical, nossa rainha Madonna.

O filme já teve sua exibição, no ano de 2016, aqui no Brasil durante o Festival do Rio e no Festival Mix Brasil e agora estará disponível para todo mundo com acesso ao serviço de streaming.

“Strike a Pose” acompanha sete dançarinos (seis gays e um hétero) dando depoimentos sobre a vida antes, durante e depois dos shows e de “Na Cama com Madonna”, contando também, o que aconteceu com eles depois da fama.

São eles: Salim “Slam” Gauwloos, Kevin Stea, Carlton Wilborn, Jose Gutierez, Luis Camacho, Gabriel Trupin e Oliver Crumes. Muitos deles esperavam continuar em turnês futuras da Madonna (Wilborn, por exemplo, até conseguiu participar da “The Girlie Show”), mas não foi muito bem assim.

Dentre os sete dançarinos, Gabriel Trupin, morreu em 1994 por conta da Aids e no documentário é representado por sua mãe. Nos anos 90 ele havia processado Madonna por danos morais, alegando que foi forçado a se dizer gay para a família por causa de um beijo gay em “Na Cama com Madonna” e Kevin Stea e Oliver Crumes também brigaram na justiça contra a artista na época, pois queriam participação nos lucros da bilheteria do filme.

O documentário é dirigido por Ester Gould e Reijer Zwaan, “Strike a Pose” mostra, além de muita dança e festa, assuntos como dependência de drogas e álcool e conversas sobre o vírus HIV.

Anúncios